Em editorial do dia 14 de outubro, sobre “Os Números do ENADE”, o jornal O Estado de São Paulo fala dos dados do ENADE e repete a afirmação equivocada do Ministério da Educação de que “dos 7.228 cursos avaliados no último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), cerca de 30% obtiveram conceitos 1 e 2, o que equivale à reprovação”.  No final, ele cita também uma nota deste blog em que mostro que  “o  MEC se limita a apresentar os conceitos de avaliação sem, contudo, definir os pontos necessários para classificar um curso como ruim ou excelente em cada área do conhecimento”.

Das duas, uma. Ou o que eu disse antes era certo, ou seja, de fato as notas são distribuídas aproximadamente conforme a curva normal ao redor da média, e não existe padrão de referência para dizer o que equivale ou não à reprovação, e neste caso  o Estadão, que se supõe ser uma publicação séria, não deveria estar endossando os equívocos do MEC;  ou o editorialista não concorda ou não entendeu o que eu disse, e neste caso deveria, quem sabe, fazer melhor o seu dever de casa.

Trackback

3 comments untill now

  1. augusto jose de sa campello @ 2013-10-15 21:40

    Caro Sr. Simon.

    Estamos mal de estatísticas e de jornalismo.
    Cordialmente, AJSCampello

  2. Ana Maria de Rezende Pinto. @ 2013-10-16 23:39

    Prezado Simon:
    Boa noite!
    De fato, a curva normal mostra quais cursos estão nos quartis acima e abaixo da média.Caso e média obtida pelos cursos seja baixa, os cursos colocados nos quartis médio superior e superior não são necessariamente notáveis, mas menos críticos em uma situação de carência educativa generalizada, ou seja “são a nata do lixo, do lixo da aldeia…do meu …” Para lembrar aquela estrofe tão cantada por um grande compositor nacional.
    Pois bem… Se está afirmativa é verdadeira, há que se definir o que significa ser um curso de boa qualidade, quais suas características, qual o seu custo, etc. A curva normal da um sinal, mas não mostra o caminho.Este caminho precisa ser traçado, para todos os níveis de ensino.De maneira geral, não temos parâmetros de qualidade para nenhuma área social.
    Atenciosamente,
    Ana Maria de Rezende Pinto

  3. twitter_leandrotessler @ 2013-10-18 14:02

    Caro Simon,
    Parece que os editorialistas do Estadão não leram nem seu blog nem o Cultura Científica. Pelo menos o G1 leu.
    Um abraço. Veja em http://g1.globo.com/educacao/noticia/2013/10/enade-nao-diz-se-curso-e-bom-so-se-e-melhor-ou-pior-que-outro-entenda.html