João Batista de Oliveira: Ainda sobre o IDEB e a Prova Brasil

Todos os que  conhecemos minimamente a Prova Brasil e o IDEB sabemos de sua importância e do avanço que representou. Mas nem todos sabemos de sua fragilidade.  Isso ainda é mais grave no caso da Provinha Brasil e do ENEM.  Em todas as provas há um problema de documentação insuficiente.  No caso da Prova Brasil, há um problema grave de calibração dos itens, que fragiliza e ameaça a comparação das Provas. Até hoje, que eu saiba, ninguém soube explicar o aumento dos resultados de 2009.  No caso do IDEB, a ideia de que 6 pontos no IDEB equivalem à média dos países desenvolvidos é tão crível quanto os contos da Carochinha – mas todo mundo acredita nisso. No caso da Provinha Brasil e do ENEM inexiste validade de construto. E por aí vai.  Tendo em vista a virtual inexistência de pessoas formadas em psicometria entre nós, e os riscos dos consensos e pressões existentes nos relatórios de organismos internacionais, parece-me que a forma adequada de realizar uma auditoria técnica seria por meio da contratação direta de especialistas, que assinariam seus pareceres individualmente, com o peso de sua reputação.

João Batista Araujo e Oliveira

Presidente do Instituto Alfa e Beto

Author: Simon

Simon Schwartman é sociólogo, falso mineiro e brasileiro. Vive no Rio de Janeiro

2 thoughts on “João Batista de Oliveira: Ainda sobre o IDEB e a Prova Brasil”

  1. Já que não tenho a mesma capacidade de síntese de João Batista, simplesmente assino embaixo do que ele escreveu.
    O pior é que com essa bandalheira a avaliação vai se desmoralizando…

  2. Concordo com o Joao Batista
    bem como com o Chico Soares em texto publicado anteriormente. Colocar no texto de uma Lei um indice que por sua propria natureza precisa ser constantemente “auditado” por especialistas eh o mesmo que colocar na Constituicao qual a taxa maxima de juros que o Banco Central deve praticar (ideia esta que alias foi proposta na Constituinte).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.