O lugar de Obama |Obama’s place

Poucos devem ter visto na TV a entrevista de um sobrinho de Martin Luther King, cujo nome infelizmente não guardei.  Perguntado sobre se a vitória de Obama significava que o sonho de Luther King tinha se completado, ele disse que só em parte, porque muitas pessoas não votaram nele porque ele é negro, e outras votaram porque é.

E tinha razão. Obama, que sempre valorizou sua origem e a cor de sua pele, fez uma bela campanha em que os temas eram o país, o mundo, a economia e as pessoas, independentemente de quem fossem. Mas tanto McCain como Bush, quando falaram reconhecendo e cumprimentando a Obama pela vitória,  fizeram questão de falar, com condescendência, dos negros que agora chegam ao poder, e não de uma nova visão e uma nova política que se anuncia. De forma elegante, tentaram, espero que pela última vez, colocar a Obama “em seu lugar”.

Author: Simon

Simon Schwartman é sociólogo, falso mineiro e brasileiro. Vive no Rio de Janeiro

3 thoughts on “O lugar de Obama |Obama’s place”

  1. Bom claro que há preconceitos e a condescendência dos brancos ao se referirem ao primeiro presidente negro . Presidente , aliás que recebeu menos de 50% dos votos dos brancos o que denota que por lá entre os brancos, a discriminação ainda é grande. De qualquer forma , mesmo com o desprezo dos brancos racistas , Obama está eleito e fará o possível, creio , para mudar esta visão retrógrada que distingue as pessoas pela cor da pele. Bonito ver os quatro, Obama, a mulher e as filhas, todos negros entrando pela porta da frente da casa que , refletindo o pensamento de grande parte do povo americano se chama Casa Branca
    Iza locatelli

  2. Boa, Simon.
    Essa ficha me custou a cair, mas você tem razão.
    Foi só hoje, lendo o Contardo Calligaris na Folha, que eu me dei conta do que havia de peculiar na ênfase dada pelo McCain (e também pelo Bush) à vitória e ao orgulho dos “afro-americanos”.
    Elegante que tenha sido a maneira como fizeram isso, o nome que isso tem é o que você deu: aquele modo condescendente de pôr os pretos “em seu lugar”…
    Os cães ainda vão latir muito, mas a caravana continuará passando. Longa vida a Barack Obama!

  3. Sim, é um nuance do qual eu – e talvez muitos outros -não me dei contas ao assistir as cenas dos cumprimentos no vídeo. Mas isso mostra a força dos paradigmas. Ainda passará muito tempo até que os preconceitos raciais sejam superados. De qualquer maneira, foi dado um passo importante nessa direção.

Leave a Reply to Bruno Reis Cancel reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial